Confira o Boat Teste da Boston Whaler 315 Conquest

boat teste boston whaler 315 conquest - boat shopping (7)

A linha “Conquest” da Boston Whaler foi apresentada ao Brasil em outubro de 2012. Trata-se de um tipo de barco que agrada pescadores inveterados e suas famílias. Primeiro porque agrega tudo e mais um pouco que os fascinados pela pesca mais gostam, como espaço, praticidade, capacidade de navegar longe e com mar ruim, afinal é certificada para navegar em mar aberto até condição meteorológica Beufort 8, numa escala que vai de 1 a 12, ou seja, ventos de 34 a 40 nós e ondulação de até 5 metros com cristas quebrando regularmente. E depois porque vem equipada com uma série de itens que propiciam conforto suficiente para levar a família para passear. Só isso já torna a linha diferencial.

Testamos dois barcos Boston Whaler da linha “Conquest” de tamanho diferentes, a fim de mostrar como cada um pode oferecer propostas de uso e perfis tão diferentes. Enquanto a 230 Vantage é um barco de passeios de dia para até oito pessoas (ideal seriam seis mais piloto) e uma forte pegada de sol e esportes aquáticos, a Boston Whaler 315 Conquest, apesar de não ser um barco grande, com 31 pés, oferece conforto de uma ótima cabine, pernoite para quatro pessoas, banheiro completo e vários itens de cozinha que deixam a estadia a bordo bem mais agradável. Sem dúvida, quem quer tomar um sol e aproveitar o verão vai ter mais chance de fazer isso a bordo da pequenina de 23 pés, mas quem quer ir mais longe, não se preocupar se o tempo vai mudar e ainda ter a chance de descansar no ar-condicionado ou passar um feriado a bordo, vai ter de investir na Boston Whaler 315 Conquest.

Mesmo com cara e todos os trejeitos e equipamentos de pescadora, a Boston Whaler 315 Conquest cai muito bem para a família curtir ótimos momentos a bordo. Apesar do cockpit amplo e livre, essencial a uma boa pescaria, a área coberta pelo hard top – que é de série – tem dinete com banco duplo e poltrona ao lado do piloto e com mesa desmontável, ou seja, uma preocupação com uso social que nem toda pescadora tem. Por outro lado, junto a popa, como é tradicional nos barcos da marca, há um banco duplo rebatível para não atrapalhar na hora que a pescaria esquenta em alto mar.

Na cabine há uma cozinha equipada com o essencial, duas camas de casal de tamanho bastante razoável e ainda um banheiro completo que, mesmo não sendo muito largo, tem boa altura e é bem equipado e ventilado. Não esqueça: a alma desta lancha é de pescadora e por isso ela tem até porta-varas no teto da cabine sobre a cama de proa.

Destaque para a pia com geladeira (que é a segunda do barco) no cockpit, atrás do piloto, e ainda a engenhosa grelha elétrica escondida numa gaveta, acima do porta tralhas de pesca.

Enfim, a Boston Whaler 315 Conquest mostra que tem uma boa ambiguidade, pronta para seduzir pescadores mas também suas famílias.

O desempenho na prática: a Boston Whaler 315 Conquest cumpre o que promete?

Com dupla motorização de 250 hp de popa, Mercury Verado, que é a configuração mínima para a Boston Whaler 315 Conquest, sendo a máxima um par de 300, os números foram ótimos. Em regime de economia de combustível, andou a bons 25,7 nós, consumindo 100 litros/hora o que resultou numa autonomia técnica total de 283 milhas náuticas.

O melhor número sem dúvida foi o de cruzeiro, pouco abaixo dos 30 nós, o que é uma ótima marca e condizente com a proposta do barco. Manteve boa autonomia, de 248 milhas náuticas. Já na velocidade máxima de bons 37,2 nós, a dupla de 250 mostrou seu apetite e passou a engolir 206 litros/hora, reduzindo drasticamente o alcance do barco. Com aceleração de 7,6 segundos, saindo do repouso aos 20 nós, fez jus a menção de um conjunto firme e balanceado.

Seguindo o padrão do fabricante, os estofamentos são de primeira. Não há rangidos no casco ou nos móveis do convés durante a navegação e a cabine que tem um excepcional padrão de montagem. É uma lancha austera no luxo e generosa na praticidade, como uma boa pescadora, mas com boa cabine, bem completa, e ainda cockpit que recebe bem convidados. Merece a etiqueta de “Pesca e Passeio”. Para melhorar poderia ter um mínimo de 230 litros de água no reservatório.


A fiação é toda estanhada e com conectores vedados segundo normas internacionais NMMA, ABYC, CE e RYA. A construção de perceptível qualidade. A hidráulica é muito bem finalizada e com materiais apropriados e de ótima qualidade. O fabricante garante que o casco é insubmersível.


O casco é duplo laminado manualmente com tecidos cortados em gabaritos e depois aplicados, com reforços biaxiais distribuídos nas zonas de maior esforço e ainda com o convés preenchido com espuma de poliuretano com células fechadas em processo patenteado pela fábrica, denominado UNIBOND.

De excelente qualidade, mesmo não tendo luxos ou exageros. Detalhes pequenos são percebidos nas aberturas e trincos das portas e paióis no tipo de inox e mecanismos usados para rebatimento de bancos, encostos e mesmo na casa de máquinas. A cabine tem tons modernos e agradáveis, sem exagerar em tons muito escuros e com boa funcionalidade.

Não é um barco inovador em sentido amplo, mas tem boas sacadas, como a dinete ao lado do piloto com mesa removível, a grelha elétrica guardada numa gaveta de armário no cockpit e mesmo uma segunda geladeira externa. Ele mostra que um barco muitas vezes não precisa ser um grande inovador, mas pode ser inteligente e prático, o que muitas vezes é melhor que invenções e novidades sem sentido.

Com a dupla motorização de popa da Mercury de 250 hp cada teve bom desempenho, especialmente em cruzeiro regular. Há opção ainda de equipar com a potência máxima, de 600 hp (par de Verados 300), sempre de popa. Pode ficar bom, dando um pouco mais de fôlego nas médias e altas rotações sem aumentar o consumo. Tudo vai depender do perfil da pilotagem.

Fácil, leve e muito agradável. O barco responde de forma gentil a todas as manobras e mesmo nas curvas mais fortes, não se perde a mão. Não caturrou, não deitou além da conta de seu casco que tem “V” de popa de 20 graus. O assento do piloto é extremamente confortável com ótima ergonomia, sem dúvida, um lugar difícil de se querer sair.

O melhor uso: a Boston Whaler 315 Conquest é uma lancha na medida para você?

É um barco que comporta pescadores sérios e que gostam de ir longe e sem medo de mudanças de mar e que permite a eles levarem suas famílias para um passeio ou final de semana a bordo, com espaço para socializar. E transmite a certeza de que estão em um barco seguro e bem construído, sem exageros de decoração, mas com acabamento impecável.

Assim, quem quiser pagar o preço dessa qualidade não vai se desapontar. É um perfil de usuário diferente dos que optam pela 230 Vantage, que não precisa de tanta proteção do tempo e do mar, não vai tão longe a ponto de querer dois motores e muito menos pernoitar a bordo, por isso o tamanho e a cabine são itens dispensáveis. Dois perfis de uso e preço diferentes e que claramente se mostram conectados com a realidade de usuários com propósitos distintos