Dia clássico e condições perfeitas na abertura do 33º Circuito Oceânico

Gabriel Heusi/Heusi Action/Veleiros da Ilha

A abertura do 33º Circuito Oceânico de Santa Catarina nesta terça-feira (1º), em Jurerê, foi marcada por mais de 50 barcos na água, um dos maiores números já registrados na história do evento, vento sudeste entre 11 e 17 nós e um lindo dia de sol. Com regatas de percurso para quase todas as classes, exceto RGS, houve boas disputas durante o dia.

A competição em Jurerê vale como Campeonato Brasileiro da classe ORC, uma das mais conceituadas da vela de Oceano. Com 19 embarcações na disputa, a maior flotilha do Circuito, a regata inaugural teve como vencedor o Crioula 52, do Veleiros do Sul. Composta por uma tripulação bem experiente, a equipe gaúcha venceu a regata de percurso que abriu a disputa em Florianópolis.

Gabriel Heusi/Heusi Action/Veleiros da Ilha

Tático do Crioula, o velejador olímpico Samuel Albrecht se mostrou bastante surpreso com as condições do primeiro dia. “Foi uma ótima estreia, estávamos ansiosos para navegar no Circuito, raia muito bonita, com bom vento. Fomos surpreendidos com vento Sul-Sudeste de boa intensidade, fizemos uma ótima regata, nos divertimos bastante”, disse o velejador que esteve em Tóquio na última Olimpíada.

Katana/Portobello vence primeira regata de C30

Com seis barcos na disputa, a classe C30 sempre proporciona disputas emocionantes e nesta terça-feira não foi diferente. Por ser uma flotilha com embarcações one design (todos os barcos do mesmo modelo), o resultado final não precisa de correção. Na regata de percurso, quem levou a melhor foi o Katana/Portobello, do Veleiros da Ilha. Com dois atletas olímpicos na tripulação, Bruno Fontes e André “Bochecha” Fonseca, a equipe catarinense venceu a primeira disputa do campeonato.

“Foi uma regata muito boa, com condições quase perfeitas para o dia. O vento apertou bastante ao longo da tarde e o equilíbrio foi muito grande. Conseguimos abrir um pouco no final, mas montamos sempre muito próximos dos outros barcos”, comentou Bruno Fontes.

Gabriel Heusi/Heusi Action/Veleiros da Ilha

A flotilha de HPE30 também contou com uma regata bastante equilibrada. Nesta terça, quem levou a melhor foi o gaúcho Ponta Firme. Com quatro barcos na raia, a classe compete entre si e também na classe ORC.

Regatas de percurso também marcaram as disputas das demais classes nesta terça. Na categoria RGS Cruzeiro Geral, o Sossegado levou a melhor na disputa, fechando em primeiro. Já na Bico de Proa, vitória para a embarcação Mokai. Na Bico de Proa Cruzeiro deu ArCaFer, enquanto na classe Star quem levou a melhor foi a embarcação 8477. Na Multicascos, melhor para a embarcação Dadu.

Regatas barla-sota abrem as disputas da RGS

Todas as classes disputaram regatas de percurso nesta terça, com exceção da classe RGS. Para essa classe foram realizadas duas regatas de barla-sota, com uma dinâmica bem competitiva. O veleiro Garrotilho venceu as duas provas da terça e abriu o evento na liderança com dois pontos perdidos.

Comentários

Comentários